FONPLATA

A Diretoria Executiva do FONPLATA aprovou em 14 de agosto de 2018 o projeto Itajaí Moderna e Sustentável para melhorar a qualidade de vida dos moradores desta cidade localizada no estado de Santa Catarina, região sul do Brasil. Através do financiamento de US$ 62,50 milhões serão feitas obras de infraestrutura urbana e socioambiental para o benefício dos quase 300 mil habitantes do local.

Entre as melhorias estão a ampliação da mobilidade urbana através da recuperação dos pavimentos, da reabilitação e adaptação do sistema de vias, além da drenagem pluvial tendo em conta que a cidade está cercada por rios que transbordam em determinados períodos do ano impedindo o trânsito de pessoas e de bens; além da recuperação de áreas públicas de recreação e de descanso.

Publicado en Noticias

El Directorio Ejecutivo de FONPLATA aprobó el 14 de agosto de 2018 el proyecto Itajaí Moderna y Sostenible para mejorar la calidad de vida de los habitantes de esta ciudad ubicada en el estado de Santa Catarina, región sur de Brasil. A través del financiamiento de US$ 62,50 millones se harán obras de infraestructura urbana y socio ambiental para el beneficio de sus casi 300 mil habitantes del local.

Entre las mejorías están la ampliación de la movilidad urbana a través de la recuperación de la pavimentación, rehabilitación y adaptación del sistema de vías, además del drenaje pluvial teniendo en cuenta que la ciudad está rodeada por ríos que se desbordan en determinados períodos del año impidiendo el tránsito de personas y de bienes; además de la recuperación de áreas públicas de recreación y de descanso.

Publicado en Noticias

Texto original retirado da página da Prefeitura de Itajaí

Na manhã de sexta-feira (23), o Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata) concluiu sua missão de análise no Município de Itajaí. Oscar Baldivieso, engenheiro chefe da missão, entregou nas mãos do prefeito Volnei Morastoni o documento de análise do programa de financiamento. Este documento foi preparado pelos quatro técnicos do Fonplata durante toda a semana e é parte fundamental para a liberação dos US$62,5 milhões em investimentos para Itajaí.

Na entrega, Baldivieso reiterou a competência dos técnicos e o preparo da Prefeitura de Itajaí para receber o financiamento internacional. “Tenho certeza que da parte do Fonplata nossos prazos serão todos cumpridos”, sentenciou o especialista. O prefeito aproveitou a oportunidade para convidar os visitantes para uma nova estadia em Itajaí, durante a Volvo Ocean Race, e garantiu também ao executivo o cumprimento das obrigações do Município.

Avaliação positiva: garantia de liberação do empréstimo

Na entrega do documento com a avaliação do Município de Itajaí e as últimas indicações do Fonplata, Oscar Baldivieso referenciou sua semana de trabalho. “Temos uma impressão positiva do município com as atividades desenvolvidas, as visitas em campos nos locais das intervenções. Nós achamos que é importante recrutar as obras do programa que irão ajudar a melhorar a qualidade de vida das pessoas. Na mobilidade urbana, drenagem e equipamentos públicos. É um desafio tanto para o Município quanto para o Fonplata”, concluiu o chefe da missão.

Para a liberação dos recursos, ainda serão necessários alguns trâmites no Fonplata e outros junto ao Governo Federal, fiador do empréstimo. De acordo com o relatório dos executivos do banco e com o coordenador do PEMI 2040, Alcides Volpato, o recurso estará disponível para ser utilizado em obras no desenvolvimento de Itajaí ainda no segundo semestre.

Publicado en Noticias

Tomado de la web de la Alcaldía de Itajaí (original en portugués)

En la mañana del viernes 23 (de marzo), el Fondo Financiero para el Desarrollo de la Cuenca del Plata (FONPLATA) concluyó su misión de análisis en el Municipio de Itajaí. Oscar Baldivieso, ingeniero jefe de la misión, entregó al alcalde Volnei Morastoni el documento de análisis del programa de financiación. Este documento fue preparado por los cuatro técnicos de FONPLATA durante toda la semana y es parte fundamental para la liberación de los US$62,5 millones en préstamos para Itajaí.

En la entrega, Baldivieso reiteró la competencia de los técnicos y la preparación del Ayuntamiento de Itajaí para recibir la financiación internacional. "Estoy seguro de que por parte de FONPLATA nuestros plazos serán todos cumplidos", sentenció el experto. El alcalde aprovechó la oportunidad para invitar a los visitantes a una nueva estancia en Itajaí durante la Volvo Ocean Race, y aseguró también al ejecutivo el cumplimiento de las obligaciones del Municipio.

Evaluación positiva: garantía de liberación del préstamo

En la entrega del documento con la evaluación del Municipio de Itajaí y las últimas indicaciones de FONPLATA, Oscar Baldivieso hizo referencia a su semana de trabajo.

"Tenemos una impresión positiva del municipio con las actividades desarrolladas, las visitas en campos en los locales de las intervenciones. Creemos que es importante reclutar las obras del programa que ayudarán a mejorar la calidad de vida. En la movilidad urbana, drenaje y equipamientos públicos. Es un desafío tanto para el Municipio como para FONPLATA", concluyó el jefe de la misión.

Para la liberación de los recursos, todavía serán necesarios algunos trámites en FONPLATA y el Gobierno Federal, fiador del préstamo. De acuerdo con el informe de los ejecutivos del banco y el coordinador del PEMI 2040, Alcides Volpato, los recursos estarán disponibles para ser utilizados en las obras para el desarrollo de Itajaí en el segundo semestre.

Publicado en Noticias

Equipe do organismo internacional observa proposta do município, que quer duplicar vias e fazer outras melhorias.

 

Uma comitiva do FONPLATA visita o município de Itajaí, em Santa Catarina, sul do Brasil, para avaliar aspectos técnicos e os processos de execução de obras a partir da aprovação da linha de crédito de US$60 milhões, ainda a ser disponibilizado pelo Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata.     

Esta é uma das etapas do processo para a liberação da verba com a qual as obras serão iniciadas. De acordo com a página web de Itajaí, os técnicos do município apresentam à equipe do FONPLATA os documentos e os projetos, que a ser avaliados sob os critérios do fundo de desenvolvimento.

O próximo passo é a aprovação do programa pelo Senado Federal brasileiro e, em seguida, a assinatura do prefeito Volnei Morastoni.

A previsão é que os recursos poderão ser utilizados nas obras de duplicação de vias ainda no segundo semestre de 2018, após o cumprimento das exigências formais da União e do Fonplata.

Publicado en Noticias
Martes, 20 Febrero 2018 16:48

Bicicleta, o veículo do futuro?

Criada há mais de 200 anos, ela pode ser uma das chaves para contribuir a um mundo menos contaminado.

 

Em alguns países ela é o principal meio de transporte, nas cidades do interior também. Criada há centenas de anos, a bicicleta é considerada um dos veículos do futuro.

Seu uso é incentivado por diversos organismos internacionais, entre eles a Organização das Nações Unidades (ONU) que, ao criar os 17 objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, incluiu este modesto veículo como alternativa ao uso de automotores para ajudar a reduzir os efeitos dos gases poluentes que promovem a mudança climática.

A bicicleta permite melhores condições de vida e também a inclusão social à população de baixos recursos por ser barata e de longa duração. Uma das consequências de seu uso é a transformação das cidades graças à redução da poluição ambiental e dos acidentes de trânsito.

O crescente uso de automóveis gera caos e atrasos que se traduzem em perdas econômicas. Sobretudo se for levado em conta que mais de 50% da população mundial mora em cidades.

“A priorização do uso de bicicletas se transformou em um critério fundamental em todo o modelo de desenvolvimento urbano, especialmente naqueles destinados ao transporte sustentável. O ciclismo está se transformando em uma alternativa de transporte que gera benefícios sociais, ambientais e econômicos importantes para as cidades”, explica o economista Óscar Carvallo do FONPLATA.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) apresentou um mapa destacando as cidades da América do Sul com o maior número de quilômetros adaptados para este tipo de transporte.

O Rio de Janeiro lidera a lista com 307kms de ciclovias construídas, seguido por São Paulo, com os 270kms que vêm transformando esta urbe em uma cidade mais amigável para os ciclistas; e Buenos Aires, com 130kms, onde a prefeitura mantém um serviço de aluguel de bicis para a população, além de convênios com universidades, ONGs e empresas para incentivar seu uso.

Além da capital argentina, as bicicletas têm via própria em Rosário, Córdoba e Mendoza.

No Uruguai os ciclistas em Montevidéu podem aproveitar os 35,9Kms de ciclovias. A Bolívia tem feito investimentos neste setor e conta com 50,2Kms em La Paz, e 23,5kms em Cochabamba habilitados para este não poluente.

Cidades para cidadãos

O desafio é transformar as cidades de acordo com as necessidades tanto dos moradores como da urbe e em adaptação ao que já existe junto com novas alternativas, destaca o texto publicado pelo BID

Em Joiville, no estado de Santa Catarina, região sul do Brasil, o FONPLATA investe US$40 milhões em obras na cidade , entre elas a recuperação de mais de 60Kms de ciclovias que permitirão o deslocamento de forma econômica, sem poluentes e proporcionando benefícios para a saúde dos usuários.

Investimento similar é feito no município de Criciúma, também em Santa Catarina, onde este organismo internacional investe mais de US$17 milhões para incentivar o desenvolvimento desta cidade que é conhecida como a capital brasileira do carvão.

Publicado en Noticias
Lunes, 01 Enero 2018 18:16

Receitas para construir uma ponte

Estas estruturas mudam o cenário das cidades e também todo o panorama econômico e social.

A Rio-Niterói é maior da América do Sul graças aos 13 kms que conectam as cidades brasileiras que a batizam. A da Amizade liga Brasil e Paraguai, e a da Fraternidade encurta a distância entre Argentina e Brasil. Todas têm papéis estratégicos. As pontes surgiram da necessidade de cruzar rios de forma mais rápida e segura.

Existem diversos tipos de pontes. A escolha do desenho técnico tem a ver com a funcionalidade da estrutura. Qual número de veículos vão transitar, se será apenas para uso de pedestres ou apenas para autos leves, tudo isso influencia na projeção da estrutura.

“O cálculo sobre o tráfego determina vários aspectos da ponte. A construção se justifica pela economia de tempo gerado ao entorno”, diz o economista do FONPLATA Óscar Carvallo.

Essas estruturas têm impacto no desenvolvimento ao facilitar o trânsito de bens e de pessoas, o que repercute na economia local.

Mais tempo, mais qualidade de vida

Outro impacto gerado pela construção de uma ponte é a redução do tempo nos traslados, com consequências imediatas na qualidade de vida daqueles que a utilizam.

Este foi o fator que motivou o FONPLATA a financiar a construção de uma ponte de 800 metros em Joinville, no estado de Santa Catarina, Brasil. A estrutura reduzirá os engarrafamentos e facilitará a circulação entre as zonas leste, norte e sul da cidade.

Os resultados serão perceptíveis também no setor econômico desta cidade, que produz 18,9% do Produto Interno Bruto catarinense.

“Todo projeto gera valor agregado. Os resultados são perceptíveis em pouco tempo após a construção de uma ponte”, detalha Carvallo.

De acordo com o engenheiro civil Luis Ernesto Baldivieso, responsável por diversos projetos do FONPLATA, para construir uma ponte é necessário o adequado estudo técnico, econômico e socioambiental.

“É preciso cumprir as especificações internacionais e nacionais para o tipo de trânsito e a carga a circular pelo local”, conta Baldivieso.

Clima e progresso

De acordo com os critérios do FONPLATA, a empresa construtora “precisa ter capacidade técnico-econômica para realizar a obra, da mesma maneira que a consultora que irá supervisar os trabalhos executados”, enumera o engenheiro.

Também “é preciso observar as mudanças climáticas e a intensificação do ciclo hidrológico. Hoje em dia as chuvas são mais intensas e em períodos mais curtos, o que causa enchentes. As novas pontes têm que ser mais altas para que não sejam arrastadas por inundações”, explica Marina Dockweiler, outra responsável por projetos do FONPLATA.

Os cálculos devem contemplar também a proteção das fundações e dos estribos. “Caso a ponte esteja conectada a uma estrada, é preciso fazer obras de drenagem para o escoamento da água das chuvas”, detalha Dockweiler.

No departamento de Cochabamba, na Bolívia,  o FONPLATA está construindo 21 pontes. Quando chove, o trânsito local de pessoas e de mercadorias fica limitado, causando perdas sociais e econômicas.

Este impacto negativo prejudica o desenvolvimento, reduzindo as oportunidades de crescimento. O projeto busca reduzir este tipo de problemas e melhorar a qualidade de vida dos habitantes das áreas rurais e isoladas deste departamento boliviano.

Por tudo isso, mais que uma estrutura física, uma ponte significa a conexão para o progresso.

Publicado en Noticias

Se trata de financiamientos para proyectos de vialidad, infraestructura y desarrollo social en los cinco países miembros del organismo.

El año que termina, el Fondo Financiero para el Desarrollo de la Cuenca del Plata, FONPLATA, avanzó en su consolidación como un banco de desarrollo al nivel de otros organismos multilaterales que trabajan en América Latina.

Además de lograr varias alianzas clave para reforzar su labor, el organismo avanzó en los objetivos de un nuevo plan estratégico que incluye, entre otras metas, la posibilidad de incorporar nuevos socios.

A lo anterior se suma aprobación récord tanto en número como en monto total de proyectos aprobados para obras de infraestructura, vialidad, desarrollo urbano y otras necesidades de desarrollo en los cinco países que integran el Fondo: Argentina, Bolivia, Brasil, Paraguay y Uruguay.

En Argentina se destinaron US$5 millones de dólares para la modernización de la justicia local con el fin de ayudar a agilizar los sistemas y hacer más eficientes los tribunales y otros US$5 millones de dólares para llevar adelante la Encuesta nacional de gasto de Hogares.  En el área metropolitana de Buenos Aires (conurbano) se aprobaron US$40 millones para mejorar la circulación y la seguridad vial.

También en Argentina, se aprobó un financiamiento de US$22 millones para mejorar las condiciones operacionales y las estructuras para los funcionarios que viven en los centros de frontera, y para ampliar las áreas de atención al público que transitan por esas demarcaciones. Asimismo se aprobó la segunda Fase para apoyar el desarrollo productivo del norte argentino mediante la facilitación del acceso al financiamiento por US$20 millones de dólares

En Bolivia se impulsó el programa de infraestructura urbana y generación de empleo en La Paz, Cobija, Oruro, Potosí, Riberalta y Sucre, con un préstamo de US$40 millones. El departamento de Cochabamba recibió US$10 millones para la construcción de puentes para facilitar el flujo de la producción agrícola local.

En Brasil cuatro ciudades recibieron un aporte total de US $ 141,9 millones. En Joinville, Santa Catarina, US$40 millones serán utilizados para la construcción de un puente para despejar el tránsito, ampliar la red de saneamiento básico y alcantarillas. Criciúma, también en Santa Catarina, cuenta con US$17,25 millones otorgados por FONPLATA para mejorar la calidad de vida de la población.

En Pelotas, en Rio Grande do Sul, un programa destinado a las áreas rurales y urbanas por US$50 millones contribuirá a la mejora de las condiciones socioambientales, la generación de trabajo y de renta bajo la perspectiva de desarrollo sostenible en la ciudad.

Atibaia, en el interior de São Paulo, recibirá US$34,7 millones para obras de infraestructura y servicios urbanos básicos.  

Para Paraguay, el enfoque es la rehabilitación de las condiciones de circulación y de seguridad de la red vial a través del mantenimiento de varios tramos, con un aporte de US$42,9 millones.

 

Publicado en Noticias

          São financiamentos para projetos de infraestrutura, vias e desenvolvimento social nos cinco países membros do organismo.

No ano que termina, o Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata, FONPLATA, avançou em sua consolidação como um banco de desenvolvimento em nível de outros organismos multilaterais que trabalham na América Latina.

Além de solidificar várias alianças estratégicas para reforçar seu trabalho, o organismo avançou em objetivos de um novo plano estratégico que inclui, entre outras metas, a possibilidade de incorporar novos sócios.

Ao já mencionado se soma a aprovação recorde tanto em valores como na quantidade total de projetos aprovados para obras de infraestrutura, vias, desenvolvimento urbano e outras necessidades de progresso nos cinco países que integram o Fundo: Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Na Argentina foram destinados US$5 milhões de dólares para a modernização da Justiça local para ajudar a agilizar os sistemas e tornar mais eficientes os tribunais, e outros US$5 milhões de dólares para realizar a Pesquisa Nacional de Gasto de Residências. Na área metropolitana de Buenos Aires (conurbação) foram aprovados US$40 milhões para melhorar a circulação e a segurança viária.

Também na Argentina foi aprovado um financiamento de US$22 milhões para melhorar as condições operacionais e as estruturas para os funcionários que residem nos centros de fronteira, e para ampliar as áreas de atenção ao público que transitam por esses limites Da mesma forma foi aprovada a segunda fase para apoiar o desenvolvimento produtivo do norte argentino através da facilitação de acesso ao financiamento de US$20 milhões de dólares

Na Bolívia foi enfatizado o programa de infraestrutura urbana e geração de emprego em La Paz, Cobija, Oruro, Potosí, Riberalta e Sucre, com um empréstimo de US$40 milhões. O departamento de Cochabamba recebeu US$10 milhões para a construção de pontes para facilitar o fluxo da produção agrícola local.

No Brasil quatro cidades receberam um aporte total de US$ 141,9 milhões. Em Joinville, no estado de Santa Catarina, US$40 milhões serão utilizados para a construção de uma ponte que vai desafogar o trânsito, ampliar a rede de saneamento básico e esgotos. Criciúma, também em Santa Catarina, conta com US$17,25 milhões outorgados pelo FONPLATA para melhorar a qualidade de vida da população.

Em Pelotas, no Rio Grande do Sul, um programa destinado às áreas rurais e urbanas de US$50 milhões contribuirá para melhorar as condições socioambientais, a geração de trabalho e de renda sob a perspectiva de desenvolvimento sustentável na cidade.

Atibaia, no interior de São Paulo, receberá US$34,7 milhões para obras de infraestrutura e serviços urbanos básicos.

Para o Paraguai, o enfoque é a reabilitação das condições de circulação e de segurança da rede viária através da manutenção de vários trechos, com um aporte de US$42,9 milhões.

Publicado en Noticias
Página 1 de 2

Proyectos en Brasil

Beneficiarios Brasil

Sede

Teléfono +591 3 315 9400
Fax +591 3 3371713
Avenida San Martín #155, barrio Equipetrol, edificio Ambassador Business Center Piso 3
Santa Cruz de la Sierra, Bolivia

Oficina de Seguimiento de Proyectos
Teléfonos +595 21 453 320
Avenida Mariscal López Nº 957
Asunción, Paraguay

Siguenos

Contacto Linkedin youtube Google+